Sudeste, Brasil

Sudeste, Brasil

    caminho do diamante budismo botucatuCAMINHO DO DIAMANTE
    LINHAGEM KARMA KAGYU
    caminho do diamante budismo botucatuCAMINHO DO DIAMANTE
    LINHAGEM KARMA KAGYU
    caminho do diamante budismo botucatuCAMINHO DO DIAMANTE
    LINHAGEM KARMA KAGYU
    caminho do diamante budismo botucatuCAMINHO DO DIAMANTE
    LINHAGEM KARMA KAGYU

    Os objetivos dos caminhos do Buda e as Quatro Atividades Budicas

    Os objetivos dos caminhos do Buda e as Quatro Atividades Budicas
    Fonte: Buddhism Today vol. 36, p 18 - 21
    Autor: Lama Ole Nydahl | Tradutor: Iane Porto

    14/Fev/2016

    Objetivos dos Caminhos do Buda: Liberação e Iluminação

    O Objetivo do Theravada – Liberação

    O caminho para liberação consiste em dois passos. Primeiramente, reconhece-se que não há nada de permanente no corpo, somente inúmeros átomos rodopiando entre si. Então, também torna-se claro que nada real pode ser encontrado nos pensamentos e sentimentos. Apesar de as experiências externas, bem como as internas, parecerem reais, na verdade elas são apenas uma corrente de impressões que mudam constantemente.

    Este conhecimento influencia cada vez mais a atitude de uma pessoa a respeito da vida e, eventualmente, torna-se uma experiência duradoura. Se não há “Eu”, então o que pode ser danificado? Com o conhecimento de que não há um Eu verdadeiro, o tempo desse alguém como alvo, acaba definitivamente. Ele não pode mais ser atacado. Quando há dor e dificuldades, “Eu sofro” muda automaticamente para a observação geral “Há sofrimento”.

    Aqui, o termo mal compreendido nirvana, que é traduzido como “sopro” ou “(chama) em extinção”, torna-se claro. O que é reconhecido a partir da aplicação dos métodos do Buda é que a pessoa extingue todos os objetos da consciência e a ideia de um eu independente, mas nunca a consciência em si.

    Mais precisamente, existem dois tipos de nirvana. O chamado pequeno nirvana é o oposto pacífico do samsara. É apenas o espelho da mente, sem as figuras em mudança dela, que somente quem medita reconhece. É o nível que fica além da confusão e da busca por coisas impermanentes, que são experimentadas por seres não liberados como o mundo real interno ou externo. Se esta consciência constante daquele que experimento é realizada, então a ilusão de um Eu separado, o ponto de referência de todas as dificuldades que experimentamos, não pode sobreviver.

    As escolas budistas do sul se satisfazem com o conhecimento de que não há um Eu (ego). Isso traz a liberação desejada, o fim do seu sofrimento e o desenraizamento de todas as emoções perturbadoras. Porém, partir do ponto de vista do Budismo do Grande Caminho do norte, somente o primeiro véu, o das emoções perturbadoras foi retirado. É por isso que esse objetivo é apenas uma estação no caminho, antes do início do caminho do bodhisatva – a longa jornada para a iluminação para o benefício de todos os seres.

    O objetivo do Grande Caminho e do Caminho do Diamante – Iluminação

    Aqueles que realmente querem beneficiar os outros não devem parar na liberação. Agora, a alegria da iluminação está chamando e o Grande Caminho Começa. Se uma pessoa reconhece o esforço dos seres por felicidade em todas as situações, ao mesmo tempo, ela reconhece como eles constantemente infligem sofrimento a si mesmos – por causa de suas emoções perturbadoras e conceitos falsos – alguém simplesmente tem que ajuda-los! A certeza a qual já se chegou – de que a mente não pode ser danificada – é uma fundação importante para o desenvolvimento completo das possibilidades da mente. Sua onisciência sem medo, alegria auto manifesta, amor ativo e prospectivo, devem, agora, ser totalmente expressos. Eles são a verdadeira natureza da mente e aparecem automaticamente com a remoção do segundo véu, o das ideias fixas. O estado então alcançado, é chamado de iluminação.

    Este é o outro, o grade nirvana, a iluminação definitiva. Aqui, tudo que acontece é experimentado como prazer e riqueza. Se nada aparece, a mente reconhece esse estado como seu espaço de possibilidades. Se algo acontece, seja difícil ou prazeroso, é o livre jogo da mente. Ambos podem estar lá, o que experimenta e as coisas experimentadas, são ilimitados. Independentemente do que acontece ou deixa de acontecer, mostra-se diretamente a natureza da mente.

    Porém, (um) trabalho incansável com a mente é necessário para que alguém seja capaz de experimentar constantemente – mesmo na vida diária – o espaço radiante que vê através dos olhos e escuta através dos ouvidos. Não há caminho mais digno/valioso. Ele leva à felicidade mais poderosa e duradoura. Aqui, tudo que é externo ou interno aparecem no espaço da mente, brinca ao redor, é reconhecido por sua claridade, e mais uma vez, dissolve-se em sua vastidão ilimitada.

    Os professores, intencionalmente, perguntam a seus estudantes se as experiências interiores e mundos exteriores são o mesmo que a mente, ou se eles se diferem dela. A resposta é ambos/e. As impressões surgem em se desenvolvem na mente, são experimentadas por ela, e dissolvem de volta nela. Ainda, elas se comportam diferentemente e também são experimentados como sendo diferente. Elas são como ondas no oceano. Essas ondas são o oceano ou se diferem dele?

    Quem quer que reconheça isso, irá parar de limitar tanto suas experiências com tantos conceitos e permanecerá naquilo que é. Então, não será nem perturbado pelo surgimento de pensamentos e sentimentos nem ficará sonolento ou confuso quando nada acontece. A consciência do aqui e agora lustra o espelho da mente e traz seu poder radiante, suas capacidades ilimitadas.

    Libertar a mente dos seus véus de ignorância, inevitavelmente, leva à coragem, alegria e amor ativo. Se alguém entende profundamente que não é nem o corpo, que se enfraquece, nem as emoções em constante mudança, mas sim a mente indestrutível e atemporal, então os medos se desenraizam em um instante. A mente é como o espaço: aberto e que tudo contém. O que pode danifica-la? Quem pode fazê-la sofrer?

    Assim que este nível de ausência de medo é alcançado, tudo se torna uma expressão da riqueza infinita do espaço. Seja o nascimento ou a morte, tudo mostra sua diversidade e poder. Finalmente, a experiência da infinidade da mente leva a amor hábil. Age-se pelo benefício duradouro dos outros a partir do conhecimento maduro, não distraído por quaisquer pseudo-soluções mais populares.

    Neste nível, a mensagem é clara: ninguém deve se liminar com excesso de julgamento. A mente não pode ser melhorada ou prejudicada, e quaisquer pensamentos e sentimentos que apareçam, simplesmente provam seu poder de expressão multifacetado. O que importa é onde eles aparecem, o que os percebe, e para onde eles vão. É como o oceano por baixo das ondas, o espelho em que as figuras aparecem, a consciência que permanece pura nela mesma independente do que apareça nela. Pensamentos materialistas não significam que sua meditação não é boa. Alguém pode vê-los simplesmente como práticos. Pensamentos niilistas também não significam que você é a reencarnação do Nietzsche. É possível simplesmente reconhecer que esses pensamentos são possíveis. Experiências existenciais não provam nada, e os estados idealistas devem ser desfrutados sem apego. O que quer que apareça na mente somente afirma sua riqueza, seu potencial e seu poder. A mais alta sabedoria é sempre a mais alta alegria e funcionalidade! E quando ela aparece, deve-se ficar prazerosamente surpreso. É somente além da esperança e do medo que a consciência iluminada emerge, e então acontece por ela mesma.

    As quatro atividades Budicas

    Budas empregam todas as suas capacidades de corpo, fala e mente para todos os seres. Eles agem continuamente, mas sem nenhum esforço. Quando não se experimenta nenhuma separação entre quem realiza, a ação realizada e o objeto, todas as possibilidades do momento são alcançadas divertidamente. Isso traz os maiores benefícios possíveis para a maioria dos seres e por muito tempo. Aqui, nenhum momento é experimentado sem a experiência fresca e constante de “Aha!” e “Como a vida é rica!”.

    Existem conhecimentos e ações efetivas contra todos os 84.000 véus e emoções perturbadoras da mente. E esse conhecimento leva ao melhor para os seres. Eles transformam tudo e fazem de cada experiência um passo no caminho. Aqui, distingue-se a grosso modo entre os quatro modos de atividade que influenciam os eventos em direção ao que é bom.

    Esses são: pacificador, enriquecedor, fascinador e atividades poderosamente protetoras. Frequentemente, basta olhar para os eventos ligeiramente acima e além do pessoal para ter a vida enriquecida pela visão magistral do Buda. Isso também se aplica às atividades Budicas e aqueles que às alcançam. Todo ser humano possui certas habilidades que afetam os outros. Aplicá-las conscientemente ajuda a dar aos outros felicidade e direção.

    A pessoa pacificadora é como um anfitrião jovial que não estará satisfeito até que todo mundo esteja. Abençoado principalmente com tendências altamente cordiais e o corpo um tanto em forma de pêra, ele constantemente tem que tomar cuidado para não ser usado pelos outros ou para não machucar a si mesmo por beber ou comer em excesso.

    Porém, se ele conseguir, ele pode trazer proximidade e calor para muitas pessoas, algo que falta à muitos desde a infância. É importante ter certeza de direcionar a abertura emocional que surge para um nível significativo que dure (muito tempo).

    A aparência física do tipo enriquecedor é, frequentemente, um tanto diferente. Ele tem ossos finos, se move rapidamente, e está constantemente consciente de tudo que acontece em todas as direções a qualquer momento. A partir dele, as pessoas recebem as dicas do momento e ouve sobre o que está “na moda”. Como ele tem a habilidade de alcançar e se conectar a muitas pessoas, ele deve se sentir responsável não só pelo dia a dia, mas também por desenvolver uma visão além do pessoal que faz dele um verdadeiro amigo dos seres. Isso é muito mais significativo e pleno do que a busca constante por valores materiais.

    A atividade fascinadora é especialmente fácil para pessoas exteriormente atraentes. Uma vez que o mundo reconhece a beleza rapidamente, usar a influência de alguém faz sentido. Como resultado de atos de compaixão de vidas anteriores, a beleza atrai os seres. Porém, se seus benefícios permanecerem num nível superficial e só se conhece a última moda, todos perdem o que há de mais precioso: seu tempo.

    O tipo poderosamente protetor é o verdadeiro amigo de todos os seres. Ele é inabalável, e seu corpo e fala expressam essas qualidades. Ele observa com olhos abertos e, mesmo no modo como ele se mantém, alguns passos à frente do que esteja se desenvolvendo no espaço.

    Quando os três tipos mencionados acima já fizeram sua parte, ele ainda está pronto para ajudar. Não muito preocupado com sua aparência e entediado pela fofoca diária, ele é o derradeiro pilar das pessoas.

    Conectando as possibilidades dessas atividades, professores realizados atuam infalivelmente sem nenhum esforço para o benefício de todos os seres. Ao mesmo tempo que ele percebe que prefere certas atividades porque estas atividades correspondem às qualidades de seus alunos. Então, muitas vibrações diferentes surgem dentro de seus grupos. Os campos de poder dos professores são sempre efetivos, e é apenas uma questão de tempo até que seus estudantes sejam capazes de desenvolver as mesmas habilidades e de aplicá-las.

    O que isso significa para o professor em um nível prático? Como ele pode usar o conhecimento sobre as áreas de atividades?

    Pacificador

    Se os estudantes são frágeis ou difíceis, é aconselhável dar a eles muito espaço. Isso faz sentido no caso daqueles que são obviamente vulneráveis. Porém, se uma pessoa tem certeza de que alguém não está evitando uma disputa necessária, um comportamento que relaxa a situação é frequentemente o método certo em casos robustos. Essas pessoas geralmente criam dificuldades para distraí-los de suas próprias pressões internas. Se eles deixam de encontrar resistência, suas próprias neuroses explodem. Então o professor pode trabalhar com esse material cru liberado e rearranjar, alegremente, aquelas qualidades que valem a pena ser preservadas.

    Eriquecedor

    Tendo produzido a disposição para novas experiências da situação pacificadora, o professor traz a riqueza e as possibilidades de uma vida mais próxima. Porém, isso ocorre passo a passo, uma vez que quando as pessoas tentam fazer muitas coisas muito rapidamente e ao mesmo tempo e caem em seus narizes, a ilusão do ego ganha uma desculpa para reforçar sua posição. Para o professor no Budismo Tibetano, as primeiras duas atividades são fáceis de aplicar. Ele precisa apenas observar se seus estudantes estão se tornando independentes, (se estão) desenvolvendo uma atitude saudável quanto ao sexo e a vida, e (se estão) mostrando excedente para os outros seres.

    Quando um professor age de um modo fascinador ou protetor, ele tem que proceder com responsabilidade extra e, acima de tudo, deve checar constantemente sua própria atitude.

    Fascinador

    Se uma pessoa tem o poder de influenciar os outros, o crescimento muito rápido se torna possível. Mas também pode-se criar muitos danos. Escândalos religiosos ao redor do mundo parecem ser difíceis de parar, e uma religião, em especial, trata de chocar o mundo informado todos os dias. Até mesmo alguns honráveis monges e professores permitem alguns embaraços em prol do nome do Buda. Apesar de que o objetivo de seus ensinamentos nunca foi obedecer aos comandos de um Deus inflexível, mas sempre o desenvolvimento completo da mente, ainda parece difícil carregar seu exemplo para o mundo. Com certeza, qualquer ação que perturbe a relação de confiança entre estudante e professor tem que ser evitada. Tais coisas desencorajam o crescimento de mentes astutas que agora estão se voltando para o Budismo.

    Poderosamente protetor

    Atuar de um modo poderosamente protetor é a quarta atividade. Ela também demanda muita auto-observação. Quando o professor desperta a fascinação, ele tem que evitar principalmente o orgulho. Aplicar atividades protetoras e, se necessário, destruidoras, requer ficar atento à raiva. Apenas aqueles que veem o futuro Buda nos outros podem trata-los grosseiramente sem cometer erros. Mesmo se o professor tenha prometido proteger os outros com corpo, fala e mente, simultaneamente, ele tem que estar certo de que seus atos não atuam primariamente em vantagem própria. Aqui ele deve ser como um bom médico que não opera para aumentar sua reputação, mas apenas para evitar um dano maior. Apenas quando alguém está, extensamente, além do medo pessoal pode aplicar essa ferramenta de modo significativo. Apesar de que quase todos prefiram uma atmosfera de paz interior, ele não deve esquecer sua responsabilidade e – de modo a evitar conflito – nem fechar os olhos para o que está de fato acontecendo no mundo.

    Uma vez que a maioria das pessoas estão acostumadas a serem pouco exigentes de ofertas espirituais, sua vida interior é frequentemente vulnerável e confusa. Portanto, eles raramente ousam proteger os outros com uma gargalhada (voltada) para algo religioso é estranho ou aborrece as pessoas. Também parece haver mais ferro que outro entre os professores, como dizem os Tibetanos. Muito dinheiro e poder geralmente afasta sua espiritualidade. Seus próprios professores geralmente falam pouco sobre isso por causa das ligações interiores, e os próprios estudantes não sabem o que esperar de um bom professor. Apenas aqueles que estão dispostos a pôr sua em risco sua popularidade são confiáveis. Apenas estes professores são realmente livres e são capazes de cortar/penetrar a confusão dos outros e somente seu trabalho trará resultados a longo prazo.


    Busca

    Endereços & Horários

    BOTUCATU, SP
    sábados 17h00 e terças 21h00

    1486165096 facebook squareRua Pinheiro Machado, 8
    Centro Mapa

    +55 14 8111-7117


    SÃO PAULO, SP
    segundas 20h00

    1486165096 facebook squareRua João Ramalho, 145
    Perdizes Mapa

    +55 11 99699-2076


    © 2017 BUDISMO CAMINHO DO DIAMANTE Sudeste, Brasil.
    Todos os direitos reservados.
    REGIÃO SUL
    Av. Visconde do Rio Branco, 437 Bairro Floresta – Porto Alegre, RS
    Fones: +55 51 9841-7081 | http://caminhododiamante.org
    DMC Firewall is a Joomla Security extension!